terça-feira, 11 de agosto de 2020

Le Podcast du Foot #127 - Os franceses no Super 8 da Champions

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi/Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


É hora de separar os gigantes dos meninos (Arte: terradezizou.com.br)

Portugal será a grande meca do futebol europeu nos próximos dias. Nesta quarta-feira, dia 12, será dado o pontapé inicial para o Super 8 da Champions League, com os jogos decisivos da temporada 2019/20. Entre os oito times envolvidos nas quartas de final estão Lyon, que semana passada desbancou a Juventus e agora encara o Manchester City, e o Paris Saint-Germain, que abre a maratona de partidas em Lisboa diante da Atalanta.

Em mais uma edição de Le Podcast du Foot, nosso time analisa todas as possibilidades dos dois times franceses. Eduardo Madeira comanda a edição #127, tendo a presença fixa de Renato Gomes, do Footure, além das rotações de Filipe Papini, do BrasiLyonnais e C'est Le Foot, e Victor Hugo Rodrigues, do Paris Saint-Germain Brasil.


OUÇA O MATERIAL NO DISPLAY ABAIXO:
 Agora, o material também pode ser assinado via ITUNESSPOTIFY e no GOOGLE PODCASTS!!!

Comente também no site do Eduardo Madeira e na minha coluna do Globoesporte.com! Ahh... passe lá na fan page da Ligue 1 Brasil no Facebook também!

Passe aqui depois e me diga o que achou. Deixe seu pitaco, sua dica, sua reclamação e também a sua pergunta. Você pode ter seu nome lido no programa. Seja corneteiro. Faça parte do podcast!


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

sexta-feira, 7 de agosto de 2020

Lyon sofre, perde pra Juventus, mas golzinho salvador fora de casa garante a classificação

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Jogo foi marcado pela arbitragem embaraçosa e uma Juventus ainda mais confusa, guiada sob a batuta de um homem só: Cristiano Ronaldo, autor dos dois gols


Depois de uma espera de quase seis meses, finalmente aconteceu o jogo de volta entre Juventus e Lyon. Em fevereiro, na ocasião, o Lyon havia vencido a primeira partida por 1 a 0 e criou essa vantagem para esse duelo de retorno. De lá pra cá, várias coisas mudaram. A Juventus pegou uma fase ruim e deixou a desejar na reta final do italiano, apesar do título e o Lyon, bem, o Lyon não jogou. Com o encerramento do Campeonato Francês, o clube praticamente ficou de férias o tempo todo e retornou apenas para alguns jogos amistosos e a final da Copa da Liga, ao qual manteve um 0 a 0 diante do PSG e perdeu nos pênaltis.

Com o burburinho dos últimos dias, o principal ponto de dúvida na Juve era com relação a Paulo Dybala. O argentino sofreu uma lesão na coxa e não se sabia se seria relacionado, se ia ficar de fora ou até mesmo se teria condições de ser titular. No final das contas, ele apareceu, mas no banco de reservas. Sendo assim, as únicas baixas mesmo do clube italiano ficaram por conta de Sami Khedira e o brasileiro Douglas Costa. Armado no 4-3-3 e com uma postura mega-ofensiva em busca do resultado, assim ficou a Juventus:


Já o Lyon não teve nenhuma novidade para essa partida. Rudi Garcia já indicava que mandaria uma formação com três zagueiros já desde os jogos da pré-temporada. Da mesma forma como encarou o Paris Saint-Germain há exatamente uma semana. De todo modo, uma pequena alteração nos 11 iniciais chamou atenção. O artilheiro Moussa Dembélé foi preterido e começou no banco de reservas, dando lugar a Karl Toko-Ekambi sob a justificativa de ser um atacante com mais mobilidade e que poderia ter um desempenho melhor em contra-ataques. Abaixo, a escalação inicial dos Gones:


Todo mundo esperava um ataque contra defesa, obviamente, pelo fato da Juventus precisar desesperadamente de uma vitória. Mas o que aconteceu nos primeiros minutos de bola rolando foi justamente o contrário. A primeira chance criada foi por Aouar, aos oito minutos, aproveitando bola alçada na área e um rebote. Ele pegou de primeira e forçou boa defesa de Szczesny, que tirou para escanteio.

Quando o OL chegava pela segunda vez, Bentancur acabou derrubando o mesmo Aouar dentro da área. O pênalti, contestável por alguns, foi sumariamente marcado pela arbitragem sem mesmo consultar o VAR. Para a cobrança, Memphis Depay – aquele mesmo que ficou quase seis meses machucado e já era carta fora da Champions se não houvesse COVID – marcou de cavadinha e colocou o OL na frente, num começo de jogo inesperado.


Depois do gol, o time da Juventus começou a controlar o jogo, mas era visivelmente que o time estava tenso nas suas tomadas de decisão. Em um lance com impedimento já marcado, Cristiano Ronaldo, sozinho, conseguiu bater um chute cruzado pra fora. Em condições normais, o português jamais perderia uma oportunidade dessas. De todo modo, era um combate ofensivo muito pequeno tendo em vista do que precisavam.

Se o OL já tinha uma vantagem antes da bola rolar, agora a situação parecia bem mais cômoda, afinal de contas, dentro do cenário de um 1 a 0 fora de casa para o Lyon, a Juventus teria que fazer três gols. Isso colocou os franceses em estado de calmaria. Praticamente pararam de atacar. Mas, ainda assim, conseguia avançar suas linhas e isso não permita que a Juventus forçasse uma pressão. Era uma defesa consciente.

A situação mudou um pouco de cenário quando duas faltas foram marcadas na entrada da área do Lyon. Na primeira situação, em cobrança de Cristiano Ronaldo, seu compatriota Anthony Lopes buscou e fez uma defesa de cinema. No outro lance, um minuto depois, foi Pjanic quem cobrou. A bola bateu em Memphis Depay na barreira e foi marcado pênalti. Contestável ou não, CR7 dessa vez não perdoou e igualou o placar: 1 a 1.


O gol dos italianos chegou em bom momento para eles. O time retomou a confiança após esse gol aos 43’ do primeiro tempo. A partir dali, até o apito final da primeira parte, com mais quatro minutos de acréscimos, a Juventus finalmente fez o que se esperava dela e começou a pressionar com muito mais inteligência o OL. Por outro lado, o intervalo veio como um respiro necessário para o Lyon retomar o fôlego e arrumar a casinha também.

Para a etapa final, a Juventus começou de uma forma bem diferente como havia iniciado o jogo. Agora, sim, exercia sua pressão e fazia valer não somente seu mando de campo, como também sua superioridade técnica. O problema que tinham era para enfrentar o miolo defensivo dos Gones e isso culminava numa dificuldade enorme de achar espaços para finalização na conclusão final.

E como resolver o jogo quando não se consegue penetrar na área adversária? No talento individual. E quem em campo tem mais talento? Ele, Cristiano Ronaldo. E, obviamente, a estrela brilhou. Do nada, ele arranjou um espaço na entrada da área e mandou um canhão do meio da rua no ângulo de Lopes. Dessa vez, o goleiro do Lyon não conseguiu segurar. 15’ do segundo tempo: 2 a 1!


Após o gol, duas mudanças no jogo. Primeiro, os italianos trocaram o seu “regista”. Pjanic deixava o campo para a entrada de Ramsey. Enquanto isso, Rudi Garcia mexia na zaga, tirando Denayer – aparentemente cansado – e deu lugar a Andersen. Poucos minutos depois, Reine-Adélaïde e Dembéle também entraram. Estes, nos lugares de Memphis Depay e Toko Ekambi, respectivamente. Sarri mexia em seguida com Danilo e Dybala para tirar Cuadrado e Bernardeschi.

A entrada de Dybala tinha tudo para ser um mérito do treinador italiano para colocar um gás final, já que o time precisava de mais um gol, mas a cartada não funcionou. Dybala acabou deixando o campo de maneira precoce e deu lugar a Oliveiri. Enquanto isso, a Juventus continuava sua pressão e, com o OL sem Denayer em campo, começaram a abusar das bolas aéreas, sempre procurando Cristiano Ronaldo. Parecia ser a única resolução.

Já perto do fim, até De Ligt virou atacante. Já não existia mais formação tática. Todo mundo defendia, todo mundo atacava. E na iminência de tomar algum vermelho e, claro, também para gastar tempo, Rudi Garcia aproveitou o finalzinho e suas duas últimas mexidas para trocar, tirando Dubois e Aouar para as entradas de Tete e Thiago Mendes, que praticamente nem encostaram na bola.


Por fim, e da maneira mais apertada possível, o Lyon conseguiu se classificar, mesmo perdendo por 2 a 1. O gol fora de casa salvador foi crucial para fazer valer a vantagem e carimbar o passaporte dos Gones para Portugal, onde será realizado todo o restante da Liga dos Campeões, agora, em tiro curto. Não tem mais jogo fora e nem jogo em casa. Campo neutro e tudo resolvido num embate só.

E já anote na sua agenda. O próximo confronto é sábado que vem, dia 15 de agosto. O adversário? O Manchester City, aquele mesmo que o OL bateu há dois anos pela mesma Liga dos Campeões. Guardiola saiu daquele encontro elogiando meio time do Lyon e agora terá a chance de vê-los novamente. O duelo será no Estádio José Alvalade, sem público, às 16h do horário de Brasília. Até lá!

FOTOS: ol.fr | UEFA.com
CAMPINHOS: UEFA.com


MELHORES MOMENTOS:
(se o vídeo acima não rodar. CLIQUE AQUI)

Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

quinta-feira, 6 de agosto de 2020

[Liga dos Campeões 19/20] Oitavas de final - Juventus x Lyon (volta)

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Fevereiro! Lá se foi quase meio ano da partida de ida entre Lyon e Juventus pelas oitavas da Liga dos Campeões. Naquela oportunidade, no Groupama Stadium, o OL saiu com a melhor e venceu o primeiro confronto por 1 a 0, gol de Lucas Tousart. A pandemia chegou, tudo foi paralisado, a Champions League passou por dúvidas, o Campeonato Francês foi encerrado e tudo virou de cabeça pra baixo. A única coisa que ainda resta de um ano melancólico para todo mundo - e esportivamente também para o OL - é a continuidade desta competição ao qual ainda se abraça na suave vantagem do gol conquistado.

Entretanto, a Juventus parece disposta a colocar um ponto final de vez na temporada do Lyon. Maurizio Sarri faz mistério principalmente sobre a questão de Paulo Dybala. O argentino teve uma lesão na coxa e segue em dúvidas para a partida. Mas, apesar das prévias na imprensa o colocarem no banco, não seria surpresa se ele aparecesse com condições de jogo. No entanto, o que já se tem certeza é que Sami Khadira e o brasileiro Douglas Costa estão fora. O primeiro por estar fora dos planos do treinador e o segundo por lesão. Entretanto, nomes como Cuadrado, Higuaín, Bonucci e, claro, Cristiano Ronaldo, seguem confirmadíssimos e podem fazer a diferença em qualquer duelo.

A boa notícia para o Lyon é o departamento médico 100% livre de atletas. Isso significa que Rudi Garcia teve carta branca para carimbar os passaportes de seus jogadores e o único que acabou ficando em Lyon é o recém contratado Tino Kadewere, por não estar inscrito na Liga dos Campeões. Além disso, o Lyon perdeu quatro jogadores já nessa janela de transferências que poderiam ter condições de jogo, sendo que três deles estavam relacionados na ida. São Martin Terrier, Mapou Yanga-M'Biwa, Amine Gouiri e o autor do gol naquela ocasião, Lucas Tousart. Isso acabou dando brecha para dois jogadores que comumente jogam no Lyon B aparecerem na listagem: o lateral esquerdo Melvin Bard e o zagueiro Sinaly Diomandé.

Ainda sobre esse jogaço, se quiser saber mais sobre o Lyon em especial, também preparamos um material em áudio, já divulgado aqui no site ontem mesmo. O podcast aborda um pouco mais sobre esse confronto. Estive participando nesta com os amigos Eduardo Madeira e Renato Gomes. CLIQUE AQUI para ouvir!

O confronto entre Juventus e Lyon acontece nesta sexta-feira (07/08), às 16h do horário de Brasília. No Brasil, o Facebook do Esporte Interativo, e a EI Plus, por sua plataforma de streaming, prometem transmitir a partida ao vivo. Abaixo, confira os relacionados e as prováveis escalações dos dois times.



LYON:

GOLEIROS: Anthony LOPES e Ciprian TATARUSANU;
LATERAIS: Fernando MARÇAL, Kenny TETE, Léo DUBOIS, RAFAEL, Melvin BARD e Youssouf KONÉ;
ZAGUEIROS: MARCELO, Jason DENAYER, Joachim ANDERSEN e Sinaly DIOMANDÉ;
VOLANTES: Maxence CAQUERET, Thiago MENDES, JEAN LUCAS e BRUNO GUIMARÃES;
MEIAS: Houssem AOUAR e Jeff REINE-ADÉLAÏDE;
ATACANTES: Maxwel CORNET, Bertrand TRAORÉ, Moussa DEMBÉLÉ, Rayan CHERKI, Karl TOKO EKAMBI e Memphis DEPAY;
TÉCNICO: Rudi GARCIA;
DESFALQUESTino KADEWERE

PROVÁVEL ESCALAÇÃO: Lopes | Dubois, Denayer, Marcelo, Marçal e Cornet | Bruno Guimarães, Thiago Mendes e Aouar | Memphis Depay e Dembélé



JUVENTUS:

GOLEIROS: Wojciech SZCZESNY, Carlo PINSOGLIO e Gianluigi BUFFON;
LATERAIS: Mattia DE SCIGLIO, DANILO e ALEX SANDRO;
ZAGUEIROS: Giorgio CHIELLINI, Matthijs DE LIGT, Merih DEMIRAL, Daniele RUGANI e Leonardo BONUCCI;
VOLANTES: Blaise MATUIDI, Rodrigo BENTANCUR, Simone MURATORE e Adrien RABIOT;
MEIAS: Miralem PJANIĆ, Aaron RAMSEY, Juan CUADRADO e Federico BERNARDESCHI;
ATACANTES: CRISTIANO RONALDO, Paulo DYBALA, Marco OLIVIERI e Gonzalo HIGUAÍN;
TÉCNICO: Maurizio SARRI;
DESFALQUESSami KHEDIRA e DOUGLAS COSTA

PROVÁVEL ESCALAÇÃO: Szczesny | Danilo, De Ligt, Bonucci e Alex Sandro | Bentancur, Rabiot e Pjanic | Cuadrado, Cristiano Ronaldo e Higuaín


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

Le Podcast du Foot #126 - O Lyon tem chances contra a Juve!

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi/Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Um empate é o suficiente para o OL (Arte: terradezizou.com.br)

O campeão italiano e a relação de Cristiano Ronaldo com a Liga dos Campeões podem até intimidar, mas nem isso não tira o otimismo do Lyon contra a Juventus. Afinal de contas, depois de vencer na ida por 1 a 0, basta um empate para que os comandados de Rudi Garcia avancem para as quartas de final do torneio continental. Os dois times, que se enfrentaram na primeira mão em fevereiro, voltam a se encontrar na sexta-feira, dia 7, no Allianz Stadium, em Turim, a partir das 16h.

Na edição #126 de Le Podcast du FootEduardo Madeira, Filipe Papini, do BrasiLyonnais e C’Est Le Foot, e Renato Gomes, do Footure, se reúnem e cravam que o Lyon tem, sim, chances de classificação. Nosso trio destrincha as virtudes e defeitos do time de Rudi Garcia e projetam o desempenho francês na partida de volta, na Itália.


OUÇA O MATERIAL NO DISPLAY ABAIXO:
 Agora, o material também pode ser assinado via ITUNESSPOTIFY e no GOOGLE PODCASTS!!!

Comente também no site do Eduardo Madeira e na minha coluna do Globoesporte.com! Ahh... passe lá na fan page da Ligue 1 Brasil no Facebook também!

Passe aqui depois e me diga o que achou. Deixe seu pitaco, sua dica, sua reclamação e também a sua pergunta. Você pode ter seu nome lido no programa. Seja corneteiro. Faça parte do podcast!


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

sexta-feira, 31 de julho de 2020

PSG e Lyon não saem do zero e time parisiense levanta o troféu da Copa da Liga em decisão nos pênaltis

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Traoré errou a sexta cobrança e acabou com as esperanças do OL levantar um título na temporada





Finalmente, bola rolando para o Lyon de forma oficial. Desde março a equipe não disputava uma partida valendo algo e, agora, era a vez de disputar algo. E logo de cara, uma decisão valendo tudo para o clube. Com o encerramento precoce da Ligue 1, não restou muitas alternativas para o OL se classificar para competições internacionais, a não ser ganhar a Copa da Liga, competição ao qual tinha o PSG como adversário nessa grande decisão. O time de Paris, por sua vez, tinha ambições maiores. A Copa da Liga era “só mais uma” taça caseira. Com foco absoluto na tentativa de vencer a Liga dos Campeões, havia uma certa desconfiança do Paris não levar o jogo de hoje tão à sério quanto o Lyon.

Inclusive, para esse confronto, o único desfalque de Thomas Tuchel era o brilhante atacante Kylian Mbappé, que se lesionou na final da outra copa na semana passada. Kherer, que era ausência quase certa, começava no banco. Verratti e Gueye, sem totais condições de jogo ainda, não só foram relacionados como começaram jogando para já ganhar rodagem para semana que vem. Outra novidade era Kurzawa, improvisado na direta, já que Dagba não teve condições físicas. Veja como ficou:




Também com poucas novidades, o Lyon apresentou uma formação tática já prevista: com três zagueiros. A grande dúvida de Rudi Garcia ficava em torno do meio de campo. Com a saída de Tousart para o Hertha Berlim, quem jogaria? Thiago Mendes ou Caqueret? O segundo foi escolhido para fazer dupla com Bruno Guimarães na volância. Outra questão foi entre goleiros. Tatarusanu seria titular hoje, bem como foi durante toda a Copa da Liga. Mas sentiu dores nas costas e acabou dando espaço para o titular natural, Lopes. Veja como ficou desenhado o OL:




Quando finalmente a bola rolou no gramado do Stade de France, o PSG parecia querer tomar as rédeas do jogo, assim como gosta de fazer no futebol francês e como acontece naturalmente, por sua vantagem técnica sobre os demais times. Neymar, arisco, tentou logo no comecinho em dois chutes de fora da área. No primeiro, Lopes salvou sem muito esforço e no segundo, a bola tirou tinta da trave esquerda do goleiro português.

Não demorou muito para o OL responder ainda antes dos 15’ de bola rolando. Primeiro, com uma jogada de Cornet pelo lado esquerdo. O marfinense precisou tentar duas vezes até acertar o cruzamento e achar Memphis Depay no segundo pau, que acabou desperdiçando a chance e mandando por cima. Depois, um chute de fora da área de Aouar pouco assustou Navas, mas mostrava um Lyon de olho na parte ofensiva também.

Após a parada para hidratação, perto dos 20’ de jogo, a partida deu uma esfriada, de maneira literal, inclusive. O jogo começava a ficar muito embolado no meio de campo e, obviamente, começavam a se destacar jogadores como Caqueret e principalmente Marco Verratti. Tuchel tentava esticar Kurzawa e acioná-lo pela direita, mas não conseguia se infiltrar por ali. Da mesma forma que Cornet e Memphis Depay também tinham poucos espaços pelos lados, pela parte do Lyon.

Com o desenrolar do jogo, o que se previa foi acontecendo aos poucos. O PSG começou a tomar o controle do jogo, controlando a sua saída de bola e pressionando o Lyon no seu campo de defesa. Obviamente, sobra ao OL tentar se defender bem – e assim conseguia fazer – e esperar um erro na saída de bola do Paris para tentar emendar um contra-ataque. E isso não aconteceu durante toda a primeira etapa.

Ofensivamente, o PSG tinha somente em Neymar uma válvula de escape sóbria durante a primeira etapa. O brasileiro parecia jogar sozinho. Um lance em especial evidenciou isso. Ele conseguiu sair em disparada pela esquerda. Levou a melhor sobre Denayer, mas ao fazer o cruzamento, não conseguiu encontrar um jogador para completar para as redes e o lance foi desperdiçado.

O mais perto que o PSG conseguiu chegar do gol na primeira parte da partida foi com Gana Gueye, em um chute fortíssimo e incrível de fora da área. Ele achou espaço e mandou do meio da rua. Lopes, bem atento, conseguiu intervir, efetuando uma defesa plástica, buscando a bola no ângulo. Já perto do intervalo, os dois times conseguiram encaixar contragolpes, mas sem assustar qualquer um dos goleiros.

Para o segundo tempo, o jogo voltou um pouco menos desembolado, mas igualmente pegado. Neymar continuava querendo jogo com suas artimanhas, mas parecia totalmente isolado. O Lyon seguia tentando acionar Aouar e Memphis Depay, que também acabavam dependendo de seus lapsos individuais. O holandês, inclusive, quase abriu o placar no comecinho da etapa, mas a bola desviada tirou da direção certa.

Não demorou até Thomas Tuchel mexer no time. Agora, podendo fazer três trocas, resolveu efetuar duas de uma vez. Colocou Sarabia e Herrera no lugar de dois jogadores que não tiveram muitas aparições na partida. Assim, Icardi e Gueye encerravam suas participações na Copa da Liga. Taticamente, isso significava uma mudança importante no ataque parisiense, com três jogadores de velocidade flutuando e revezando como falsos noves.

Depois, novas alterações foram acontecendo com o jogo ainda no 0 a 0. Kherer entrou no lugar de Kurzawa pelo PSG, enquanto Rudi Garcia colocava Thiago Mendes para saída do amarelado Bruno Guimarães, para pouco tempo mexer mais quatro vezes. Toko Ekambi, Traoré, Andersen e Rafael entravam nos lugares de Memphis Depay, Dembélé, Marcelo e Dubois, respectivamente.

Parecia claro que a partida iria terminar sem gols e assim seguiu até o apito do tempo regulamentar. Os dois times, muito cansados, agora tinham uma prorrogação pela frente. Thiago Silva, amarelado, logo saiu e deu lugar para Paredes, lembrando que cada time ganhava mais uma mexida. Mas o cenário era imutável, com pequenas chances de lado a lado, mas muito pegado.

No segundo tempo da prorrogação, aqueles velocistas que antes tentavam algo, como Neymar, por exemplo, já apareciam esgotados. Jogadores sentindo lesões e os próprios atletas já exaustos, gastando o tempo para esperar os pênaltis. O Lyon quase fez aos 6’ do segundo tempo, mas Cornet desperdiçou debaixo da trave. No fim, Rafael ainda conseguiu ser expulso, quase marcando um pênalti no último minuto. Por centímetros. Mas a falta foi cobrada bem errada por Neymar, decretando por fim uma decisão por pênaltis.

Nas batidas, Andersen, Toko Ekambi, Caqueret, Thiago Mendes e Aouar marcaram as cinco cobranças. Pelo PSG, idem. Com Di María, Verratti, Paredes, Herrera e Neymar. Na sexta cobrança, Traoré acabou perdendo a cobrança em boa defesa de Kaylor Navas. Na sequência, Paredes só teve o trabalho e fazer e carimbar mais um título para o PSG na temporada. E oficialmente o Lyon está fora das competições internacionais, salve um utópico título da Liga dos Campeões.

Em meio ao caos do calendário maluco que virou o ano de 2020, o Lyon ainda não encerrou sua participação na temporada 19/20. Ainda tem a Champions League pelo caminho, na partida de volta contra a Juventus, que na verdade será em Portugal. O OL venceu por 1 a 0 e no próximo dia 7 terá a missão de segurar essa vantagem para avançar para as quartas de final. Até lá!

FOTOS: France Football | ol.fr | PSG.fr
CAMPINHOS: L'Equipe


OS GOLS DA PARTIDA:
(se o vídeo acima não rodar. CLIQUE AQUI)

Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

[Copa da Liga | 19/20] Final - Lyon x PSG

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook:  / Medium: @BrasiLyonnais




Já se foram quase cinco meses desde a última vez que o Lyon entrou em campo de forma oficial. A paralisação global em função do combate ao COVID-19 interrompeu não somente o Campeonato Francês, mas também paralisou a Liga dos Campeões - ao qual o OL ainda está presente - bem como a Copa da Liga, que terá sua final decidida nesta sexta-feira. Com físico de pré-temporada e determinação de "jogo da vida", esse confronto vale o ano do Lyon, que não teve boa colocação na tabela encerrada de maneira precoce e ainda sonha com uma vaga em competição europeia na temporada seguinte. Vencer o PSG não só daria um troféu que iria muito bem à calhar, como também crava o passaporte para a edição seguinte da Liga Europa.

Mesmo nadando contra a maré do favoritismo, Rudi Garcia tem lá suas armas. Entre os desfalques, somente os laterais Tete e Koné, que já não tinham certa unanimidade no time. Basicamente, praticamente terá força máxima a sua disposição e isso inclui dois nomes em especiais: Memphis Depay e Jeff Reine-Adélaïde. Os dois atletas se lesionaram gravemente no fim do ano passado e praticamente tinham dado a temporada como encerrada. No entanto, o adiamento do calendário fez com que voltassem a tempo de poder ajudar o clube em seus dois próximos objetivos: a Copa da Liga e a Liga dos Campeões.

Além deles, um reforço veio da Ligue 2: o centroavante Tino Kadewere, ex-Le Havre, encerrou a temporada como artilheiro da divisão inferior, somando 20 gols. O zimbabuano, entretanto, deve ser uma opção no banco de reservas. De baixas em relação ao período de transferências, o OL não tem mais o volante Lucas Tousart, que se transferiu para o Hertha Berlim, bem como o atacante Martin Terrier, que fechou com o Rennes.

Já no PSG, o assunto para esse jogo não vem da janela de transferências, mas sim do departamento médico. Diferentemente do Lyon, o Paris já teve um jogo oficial, há exatamente uma semana, quando bateu o Saint-Étienne pela decisão de outra copa: a da França. Entretanto, o que chamou bastante atenção foi a lesão do atacante Kylian Mbappé, que recebeu uma entrada fortíssima e acabou deixando o campo imediatamente, tornando-se desfalque para o duelo contra o OL e possivelmente contra o Atalanta, pela Liga dos Campeões.

A situação acendeu um alerta e Thomas Tuchel pode ser que não coloque força máxima em campo, mesmo se tratando de uma final. Afinal de contas, o que importa mesmo para o Paris Saint-Germain na temporada atual é o desempenho na Liga dos Campeões. Sendo assim, não se assuste se o próprio Neymar não começar entre os titulares ou mesmo deixar o campo no intervalo. Soma-se a Mbappé no departamento médico o jovem lateral Thilo Kehrer. Dagba e Bernat são dúvidas, mas vão para o jogo. Gueye e Verratti, ainda não em 100% de suas condições físicas, também tornam-se ponto de interrogação, o que faz a imprensa francesa especular uma escalação com o brasileiro Marquinhos jogando de volante.

O confronto entre Lyon e PSG acontece nesta sexta-feira (31/07), às 16h10 do horário de Brasília. No Brasil, nenhuma emissora deve transmitir o jogo ao vivo. Abaixo, confira os relacionados pelos dois times.



LYON:

GOLEIROS: Anthony LOPES, Anthony RACIOPPI e Ciprian TATARUSANU;
LATERAIS: RAFAEL, Fernando MARÇAL e Léo DUBOIS;
ZAGUEIROS: MARCELO, Joachim ANDERSEN e Jason DENAYER;
VOLANTES: Maxence CAQUERET, BRUNO GUIMARÃES, Thiago MENDES e JEAN LUCAS;
MEIAS: Houssem AOUAR e Jeff REINE-ADÉLAÏDE;
ATACANTES: Moussa DEMBÉLÉ, Bertrand TRAORÉ, Karl TOKO EKAMBI, Maxwel CORNET, Rayan CHERKI, MEMPHIS Depay e Tino KADEWERE
TÉCNICO: Rudi GARCIA;
DESFALQUESKenny TETE e Youssouf KONÉ

PROVÁVEL ESCALAÇÃO: Tatarusanu | Dubois, Marcelo, Denayer, Marçal e Cornet | Bruno Guimarães, Caqueret e Aouar | Memphis Depay e Dembélé



PSG:
(Relação não-oficial)

GOLEIROS: Sergio RICO, Keylor NAVAS e Marcin BULKA;
LATERAIS: Colin DAGBA, Layvin KURZAWA, Juan BERNAT e Mitchel BAKKER;
ZAGUEIROS: THIAGO SILVA, MARQUINHOS, Presnel KIMPEMBÉ e Loïc MBE SOH;
VOLANTES: Idrissa "Gana" GUEYE, Leandro PAREDES, Ander HERRERA, Marco VERRATTI;
MEIAS: Julian DRAXLER, Pablo SARABIA e Ángel DI MARÍA;
ATACANTES: NEYMAR, Mauro ICARDI, Arnaud KALIMUENDO e Eric Maxim CHOUPO-MOTING;
TÉCNICO: Thomas TUCHEL;
DESFALQUESThilo KEHRER e Kylian MBAPPÉ

PROVÁVEL ESCALAÇÃO: Navas | Herrera, Thiago Silva, Kimpembé e Bakker | Marquinhos, Verratti, Di María e Neymar | Sarabia e Icardi


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

sábado, 18 de julho de 2020

Já viu como serão os uniformes do Lyon para a temporada 2020/21? A gente mostra!

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Depois de dois anos, Lyon volta a adotar tons de preto em um de seus uniformes. Modelos são em alusão aos 70 anos do clube


 Bruno Guimarães e o capitão Memphis Depay encabeçaram a campanha de apresentação das novas peças (clique para ampliar)

2017/2018 esta tinha sido a última vez que o Lyon havia apresentado uma camisa preta como uniforme oficial. Na ocasião, a camisa era a modelo "third" usada somente em jogos de competições internacionais como Champions League ou Europa League. Agora, a Adidas apresenta uma camisa cinza com preto como opção de uniforme "away", aquele para se jogar as partidas como visitante. Na tradicional camisa principal, destaque para dualidade de cores, polarizando o azul e de um lado e o vermelho do outro, seja nas tiras da marca ou nas mangas, foi o grande diferencial em relação aos anos anteriores.

Pouca ousadia e um toque sincero de minimalismo. Foi assim que as novas camisas do Lyon foram comentadas dentre os fãs e adoradores de futebol. A aceitação, até então, vem sendo boa, principalmente pela adequação à Fly Emirates - novo patrocínio - que ornou perfeitamente com o design da camisa. E, pode acreditar, isso faz toda a diferença no design.

Os dois modelos apresentados pelo Lyon não ficarão restritos somente ao time masculino. Por ter a melhor equipe de futebol feminino do planeta, as garotas não ficaram de fora e também jogarão com os novos uniformes. Wendie Renard e Eugénie Le Sommer foram as atletas que também apareceram nas peças promocionais, como você pode ver abaixo. Houssem Aouar e o jovem Rayan Cherki também marcaram presença nos ensaios oficiais.


A única diferença estética na camisa feminina fica por conta somente do patrocínio diferente: a Sword (clique para ampliar)

Frases de efeito foram usadas para lembrar a sétima década de história do clube (clique para ampliar)

Um pequeno detalhe na camisa branca pode passar despercebido para os olhares menos clínicos, mas desta vez, em alusão aos 70 anos de Lyon, há uma inscrição logo acima do símbolo do clube no uniforme que demarca a data de criação: "1950-2020", em letras douradas (é possível perceber melhor na imagem abaixo). O diferencial da camisa mais escura em relação a outra - além, é claro, da cor - também fica por conta do detalhe na gola, que será em formato de "V".

Nesta semana, o Lyon fez dois amistosos: um contra o Rangers e outro contra o Celtic. E em cada uma das partidas foram utilizadas as duas novas camisas. Então, já foi possível vê-las em ação antes mesmo da temporada se iniciar. Confira abaixo e clique nelas para dar zoom.


Jogadores após o apito final da derrota por 2 a 0 diante do Rangers já usando a camisa "home" (clique para ampliar)

A camisa "away" apareceu na vitória por 2 a 1 do Lyon diante do Celtic. No detalhe, Memphis Depay e Thiago Mendes (clique para ampliar)

E você, gostou dos novos uniformes do Lyon? Conta pra gente aí nos comentários. Ah! E antes que perguntem, infelizmente a Adidas não comercializa as camisas do Lyon no Brasil já faz alguns anos. Um total descaso com a comunidade torcedora do OL por aqui. Se você estiver pensando em comprá-las, vai ter que apelar para revendedores que importam ou se arriscar no site oficial do clube, onde a taxação te fará pagar provavelmente o triplo do preço. Para acessar a loja oficial do clube basta CLICAR  AQUI.

FOTOS: Divulgação (OL-Adidas) / ol.fr


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!