sábado, 19 de outubro de 2019

Nem com novo treinador Lyon esboça melhora e empata em casa com o vice lanterna

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Time conseguiu mostrar melhora no segundo tempo e esbarrou na ótima partida do goleiro Gomis, mas ainda assim é muito pouco para apontar uma progressão neste 0 a 0. Situação preocupa.



A tarde deste sábado começou com o Campeonato Francês apresentando seu segundo jogo da 10ª rodada. Na sexta-feira, o PSG já tinha feito a missão de golear o Nice fora de casa, e às 12h30 no horário de Brasília, o OL tinha a missão de bater o vice-lanterna Dijon. O grande atrativo da partida era a estreia do novo técnico do clube, Rudi Garcia, que já iniciava os trabalhos de frente pra sua torcida - que por sinal não está tão confiante na indicação do novo comandante. De todo modo, no Groupama Stadium, o Lyon não tinha outra opção. Era ganhar ou ganhar.

Para esse primeiro jogo como treinador do clube, Garcia fez mudanças importantes. Mas não táticamente. Sem contar com Dubois e Memphis Depay, ele ainda manteve o 4-3-3, mas sacou logo de cara o zagueiro Andersen. Marcelo assumiu o miolo de zaga ao lado de Denayer e não somente isso, também acabou pegando a faixa de capitão. No lado esquerdo, Koné foi preterido por Marçal. No ataque, Cornet também herdou a vaga que era de Traoré. Sem Memphis, Terrier ficou com o lado esquerdo do ataque. Outra importante anotação: o brasileiro Jean Lucas, contratação de Sylvinho, nem no banco apareceu. Veja a escalação:




O Dijon, para este jogo, era um franco atirador. Não tinha muito o que perder, uma vez que nem de longe era o favorito para esta partida. Portanto, cautela com uma dose de ousadia não faria mal algum. Stéphane Jobard decidiu ir com um 4-2-3-1. Sua força para esta partida eram dois jogadores muito ariscos no ataque: Stephy Mavididi e Julio Tavarès. Sem poder contar hoje com Mendyl, Marié, Baldé e o brasileiro Matheus Ferreira, o treinador ainda teve força no elenco o suficiente para deixar nomes como Chafik, Sammaritano, Balmont e Amalfitano, figurinhas carimbadas do Campeonato Francês, no banco. Confira a formação:




Na primeira entrevista coletiva do novo técnico do Lyon, ele disse que o time retomaria a sua essência de sempre, que é um time bem ofensivo - algo que Sylvinho teve muitas dificuldades em criar. Com pouco tempo de bola rolando, no Groupama Stadium, conseguia-se perceber que pelo menos a mentalidade do time era um pouco mais voltada ao ataque, mas ainda ineficiente, algo que já não é novidade para esta temporada.

Com um pouco de intensidade ofensiva, o Lyon construiu boas jogadas nos primeiros minutos da partida, algo que poderia impressionar, se depois o ritmo não tivesse caído de forma considerável. Aos 6' foi a grande oportunidade que fez os torcedores levantar. Em bola alçada na área, Marçal conseguiu achar Dembélé se aproximando do gol. O centroavante se desvencilhou da marcação, se antecipando ao zagueiro. Conseguiu finalizar, mas o bom goleiro Gomis defendeu no cantinho.

Perto dos 25' de jogo, o Lyon teve uma ótima oportunidade de abrir o placar. Em mais uma jogada vinda do lado esquerdo do ataque, a bola rasteira acabou sobrando nos pés de Terrier, dentro da área. O atacante teria tempo até mesmo de dominar, mas decidiu bater de primeira e acabou furando o chute. Em seguida, o Dijon respondeu com sua primeira boa chance no jogo. Mavididi bateu de fora da área e a bola, desviada, quase enganou Lopes.

O primeiro tempo desta partida evidenciou um problema muito grave deste time do Lyon. Não importa quem jogue no trio de ataque - mesmo se Memphis Depay estivesse presente - o estilo de jogo não consegue fazer com que o ataque consiga criar poder de fogo. É de se impressionar a passividade dos homens de frente. Muitas vezes, víamos somente Aouar tentando alguma coisa no meio de campo e Dembélé tentando brigar entre os zagueiros. Fora isso, um bate-cabeça generalizado e sem qualquer qualidade.

Esse sintoma ficou muito evidente em uma das oportunidades criadas, aos 38' de jogo. Aouar dominou a bola na entrada da área. Ele tinha várias opções de passes e até mesmo oportunidades para parar um pouco e tentar uma tabela. Mas na ansiedade e no nervosismo de tentar resolver sozinho, decidiu arriscar dali mesmo e mandou a bola muito longe do gol. Um claro sinal de que as coisas ainda estão bem bagunçadas.

Antes do intervalo, o OL ainda teve duas boas oportunidades em lances desperdiçados por displicência. O primeiro, foi uma bola recebida em velocidade. Cornet no lance e já entrando na área. Decidiu bater cruzado. A bola passou rente a trave. Depois, foi a vez de Tousart desperdiçar uma bola rebatida. Pegou mal e também mandou pra fora. Nos acréscimos, Dembélé teve outra boa oportunidade se antecipando a zaga e, mais uma vez, não obteve êxito.

O segundo tempo começava dando sono aos espectadores deste jogo que pouca qualidade técnica ofertava. Rapidamente os dois treinadores mexeram. No Dijon, a troca fez com que Soumaré deixasse o campo para a entrada do experiente Sammaritano. No Lyon, Rudi Garcia abria mão de Terrier, que pouco fez enquanto esteve em campo, para a entrada de Traoré. Logo após a troca, o Dijon perderia Aguerd por lesão e Coulibaly foi pro jogo também.

A primeira boa chance criada pelo Lyon no segundo tempo foi aos 16'. Mais uma boa bola levantada na área para aproveitar a presença de área de Dembélé. E de novo ele se deu melhor diante da marcação. Desta vez, com tempo para dominar e finalizar. O goleiro Gomis brilhou de novo e defendeu com os pés. Depois desta chance, Garcia mexeu de novo, colocando Reine-Adélaïde no lugar de Thiago Mendes.

O Lyon parecia mostrar crescimento no jogo. Aos 20' do segundo tempo, metralhou o goleiro Alfred Gomis, que novamente fez seu nome. Foram duas incríveis defesas do camisa 16 do Dijon. Na primeira, pegou um chute cruzado de primeira de Reine-Adélaïde. No rebote, apareceu de novo, e no contrapé, salvando aquele que seria o primeiro gol do jogo ao pegar uma cabeçada de Cornet. Um verdadeiro herói da Borgonha.

Sentindo a pressão do Lyon, Stéphane Jobard decidiu queimar sua última troca antes mesmo dos 25' de o segundo tempo. Colocou Romain Amalfitano para tentar dar mais poder de marcação no meio, mas era o OL quem chegava de novo. Aouar, desta vez, bateu da entrada da área num chute rasteiro. Gomis, claro, salvou de novo. No rebote, Tete ainda finalizou em cima da zaga.

Aos 38' do segundo tempo, a carta na manga de Rudi Garcia foi acionada. Sob muitos aplausos Rayan Cherki fazia sua estreia com a camisa do Lyon. O jovem de apenas 16 anos entrava em campo no lugar de Maxwel Cornet. Infelizmente, o menino teve pouquíssimo tempo para se ambientar ao jogo e praticamente não teve chances com a bola aos pés para mostrar seu talento.

Mesmo com seis minutos de acréscimos apontados pela arbitragem, o OL, mesmo martelando muito, não teve qualidades o suficiente para chegar a balançar as redes do adversário. A torcida, ao assoar o apito final, assobiou uma sonora vaia para a apresentação que viram naquela tarde. A situação é crítica, o time não conseguiu mostrar muita evolução e a falta de pontos já já vai começar a fazer toda a diferença na tabela.

Agora a missão difícil de Rudi Garcia é levar o Lyon à vitória pela Liga dos Campeões. Os Gones vão enfrentar o Benfica, em Portugal, na próxima quarta-feira (23), às 16h do horário de Brasília. Será o terceiro jogo do Grupo G, onde o OL ainda se encontra invicto. Será que vai se manter assim? Até lá!

FOTOS: ol.fr
CAMPINHOS: L'Equipe


MELHORES MOMENTOS:
(se o vídeo acima não rodar. CLIQUE AQUI)

Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

[Ligue 1 | 19/20] 10ª rodada - Lyon x Dijon

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais




A 10ª rodada do Campeonato Francês já começou com tudo. O PSG, claro, fez a festa diante do Nice e abriu os trabalhos goleando o time da Riviera por 4 a 1, fora de casa. Neste sábado (19), Lyon e Dijon fazem o duelo que marcará o primeiro confronto deste dia onde acontecerão mais seis jogos da Ligue 1. O Groupama Stadium, portanto, será palco da estreia de Rudi Garcia no comando técnico dos Gones e já com novidade dentre os jogadores relacionados. Na tabela de classificação, a situação dos dois times é bem tensa. O OL precisa sair da incômoda 14ª posição, enquanto o Dijon é o vice-lanterna.

O Lyon, com seu novo treinador, trouxe uma novidade entre os relacionados. O quase criança, Ryan Cherki, de apenas recém completados 16 anos está na lista. Ele substitui o nome do holandês Memphis Depay, que se machucou na data Fifa em jogo pela Seleção Holandesa. Além do holandês, o OL também não terá a importante presença de Leo Dubois, lateral direito considerado titular, integrante de recém convocações pela Seleção Francesa e um dos líderes do vestiário. Também está machucado. De retornos, Youssouf Koné volta de suspensão e Cornet sai do DM.

O Dijon, por sua vez, está cambaleando no Francês e precisa vencer sob qualquer custo. Bater o OL no Groupama Stadium será tarefa dura. E o jovem treinador Stéphane Jobard também tem desfalques importantes. Machucados, não atuam Mama Baldé e Jordan Marié. Além deles, o brasileiro Matheus Pereira e Hamza Mendyl estão suspensos. O time da Borgonha precisa confiar em seus homens de experiência, como Lautoa, Ecuele Manga, Amalfitano, Balmont, Sammaritano e o bom Julio Tavarès para fazer a diferença.

O confronto entre Lyon e Dijon acontece neste sábado (19/10), às 12h30 do horário de Brasília. No Brasil, a DAZN, por sua plataforma de streaming, promete transmitir a partida. Abaixo, confira os relacionados pelos dois times.



LYON:

GOLEIROS: Anthony LOPES e Ciprian TATARUSANU;
LATERAIS: Fernando MARÇAL, Kenny TETE, RAFAEL e Youssouf KONÉ;
ZAGUEIROS: MARCELO, Jason DENAYER e Joachim ANDERSEN;
VOLANTES: Lucas TOUSART, JEAN LUCAS e Thiago MENDES;
MEIAS: Houssem AOUAR e Jeff REINE-ADÉLAÏDE;
ATACANTES: , Martin TERRIER, Bertrand TRAORÉ, Maxwel CORNET, Ryan CHERKI e Moussa DEMBÉLÉ;
TÉCNICO: SYLVINHO;
DESFALQUESLéo DUBOIS e MEMPHIS Depay



DIJON:

GOLEIROS: Rúnar Alex RÚNARSSON e Alfred GOMIS;
LATERAIS: Mickaël ALPHONSE e Fouad CHAFIK e Ngonda MUZINGA;
ZAGUEIROS: Nayef AGUERD, Senou COULIBALY, Wesley LAUTOA e Bruno ECUELE MANGA;
VOLANTES: Romain AMALFITANO, Didier NDONG e Florent BALMONT;
MEIAS: Frédéric SAMMARITANO, Bryan SOUMARÉ;
ATACANTES: Jhonder CÁDIZ, Stephy MAVIDIDI, Mounir CHOUIAR e Julio TAVARÈS;
TÉCNICO: Stéphane JOBARD;
DESFALQUESHamza MENDYL, Jordan MARIÉ, MATHEUS PEREIRA, Mama BALDÉ


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!


domingo, 6 de outubro de 2019

Lyon joga muito mal o clássico e perde no último minuto

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


OL praticamente não atacou durante todo jogo e viu tudo fugir pelas mãos no finzinho. Situação de Sylvinho se torna bem delicada no comando técnico




Era o clássico dos desesperados, se é que podemos chamar assim. Saint-Étienne recebia o Lyon numa situação das mais complicadas. O time entrava em campo como o dono da última colocação na Ligue 1 e precisava vencer a qualquer custo. Em contrapartida, o Lyon, também em situação bem ruim, era o 13º antes da bola rolar e não vencia no torneio desde a 2ª rodada. Era o momento de redenção para qualquer um dos dois times. Quem vencesse hoje, poderia começar um novo momento na competição e, quem sabe, começar a subir degraus na tabela.

Para o duelo deste clássico, o time da casa vinha com uma novidade. O ASSE demitiu o então técnico Ghislain Printant na última quinta-feira e, no mesmo dia, acertou a contratação de Claude Puel, um antigo conhecido da torcida do... Lyon. O treinador teve uma passagem polêmica pelos Gones e saiu com uma péssima imagem por lá, inclusive perdendo processos na justiça contra o clube e o presidente Aulas. De todo modo, ele armou o time no 4-3-3, barrando nomes como Khazri, Monnet-Paquet e Beric, que começavam no banco. Puel não poderia contar com Ruffier, Debuchy, Palencia, Gabriel Silva, Aholou e Hamouma. Veja como ficou o time:




Pelo lado do Lyon, Sylvinho também tinha lá seus desfalques, mas eram apenas três. Não viajaram com o grupo Koné, Denayer e Cornet. E o treinador, no final das contas, decidiu escalar o time com uma formação bem similar ao que jogou contra o PSG e aquela que deu a vitória ao time na Liga dos Campeões no meio da semana, diante do Leipzig. O 3-5-2 foi escolhido e com alterações nas laterais. Leo Dubois foi improvisado na esquerda e Rafael assumiu o lado direito. Marçal fez a tripla na zaga novamente, ao lado de Marcelo e Andersen. No mais, nenhuma novidade além do que já estamos acostumados quando o time joga assim. Abaixo, a escalação:




Rapidamente, quando a bola começou a rolar no clássico, conseguimos entender o motivo do St-Étienne estar na posição bem incomoda na tabela. O time tinha sérios problemas, principalmente na parte ofensiva. O que, inclusive, proporcionou ao Lyon pouca preocupação no começo do jogo. Em contrapartida, o time parecia bem atento na defesa e um pouco mais organizado neste setor.

A melhor característica ofensiva do Saint-Étienne era o jogo em velocidade. Com o Lyon postado com três defensores, dificilmente estes homens tinham espaços para fazer o que sabiam. Dependiam, portanto, ou de uma falha muito grande do sistema defensivo do OL, ou então de alguma jogada individual que fizesse alguma quebra montagem que o Sylvinho deixou com três zagueiros.

Aos 20’ essa quebra aconteceu. Youssouf recebeu bola na entrada da área e fez o que queria. Driblou, deixou no chão, avançou. E na hora de cruzar, achou Boudebouz sozinho. O meia bateu bonito de primeira e acabou obrigando Lopes a fazer uma defesa brilhante. A bola ainda chegou a tocar na trave e depois voltar no goleiro. Definitivamente, foi o grande lance de perigo da primeira etapa.

Enquanto o Saint-Étienne brigava para conseguir chegar ao ataque e, mesmo sob intensa dificuldade, conseguia criar uma coisa ou outra, o Lyon se apegava ao modo defensivo e pouco conseguia criar. Memphis Depay, quando conseguia ser acionado, estava absolutamente sozinho e acabava tendo que fazer aquilo que ele gosta, mas que quase nunca surte efeito: jogadas individuais. O OL era pouco criativo, mais uma vez.

A melhor oportunidade criada pelo Lyon no primeiro tempo, acabou surgindo em lance de bola parada. Aos 35’ de jogo, Memphis Depay tinha aos pés a missão de uma falta de frente ao gol, mas com uma distância bem considerável. Ele decidiu bater dali mesmo. O chute venenoso colocou a curva que lembrou muito os chutes de Juninho, mas a bola passou ao lado do gol de Moulin. E levou perigo.

No frigir dos ovos, os times terminaram a primeira etapa com doses cavalares de remédios para dormir aos torcedores que tanto ansiavam pelo clássico. Uma chance aqui, outra ali e no final das contas, o resumo foi uma metade de jogo bem pegada fisicamente, sem quase qualquer técnica ofensiva e uma enormidade de erros de passes. O OL, por exemplo, não acertou uma finalização ao gol, por exemplo.

A segunda etapa foi ligeiramente melhor. Quando os treinadores viram que o jogo poderia permanecer a mesma pasmaceira de antes, mexeram rápido. Dembélé entrou no lugar de Terrier e pouco tempo depois foi Khazri que entrou pelo ASSE para a saída de Diony. Antes disso, o OL já tinha assustado a torcida local com um gol anulado de Aouar. Na sequência, foi Bouanga quem quase marcou, em outra belíssima defesa de Lopes.

Aos 24’ de jogo, o OL mexeu de novo, mas desta vez, por questões médicas. Fazendo muitas caretas, mas saindo andando, Rafael precisou deixar o campo para a entrada de Kenny Tete. E essas trocas, que no começo pareciam que fariam alguma diferença no andamento do jogo, se mostrou, na verdade, bem ineficientes. Enquanto a torcida fazia uma festa a parte, o resultado em campo era um baile de sonolência.

O OL tinha problemas sérios de organização de jogo. Em vários momentos da partida, víamos o trio de zaga tocando bola de um lado para o outro e ninguém aparecia para fazer a propor o jogo pelo meio. O papel deveria ser de Tousart, Thiago Mendes ou mesmo Aouar, mas muitas vezes as bolas precisavam ser forçadas pelos laterais, ou mesmo uma esticada lá na frente para tentar um lance de sorte com os atacantes. Também ineficiente.

Com 33’ de jogo, o Lyon teve uma boa chance de tirar o placar do zero. Tete recebeu em ótimas condições, como um ponta mesmo. Dali conseguiu passar pelo primeiro marcador e colocou a bola na área em cruzamento. Dembélé apareceu na área e venceu o marcador para finalizar de cabeça e colocar no cantinho. Moulin apareceu bem e evitou aquele que poderia ser o primeiro gol do jogo.

Após o lance de perigo, o OL queimou sua última troca, enquanto Puel mexia pela segunda vez. No Lyon, Jean Lucas foi o nome escolhido por Sylvinho para entrar em campo. Ele entrou no lugar de Thiago Mendes. No ASSE, quem saiu foi Abi para a entrada de Beric. Minutos depois, os Gones ficariam com um a menos, faltando dez minutos para o fim de jogo. Leo Dubois sentiu lesão e precisou deixar o campo. Como o time já tinha feito as três mexidas, o jeito era ir no sacrifício e com 10 em campo.

E a situação complicada do OL em campo se transformou em terror, quando aos 45’ do segundo tempo, Beric fez para o time da casa. Em um cruzamento muito certeiro de Boudebouz pelo lado direito, o meia achou Beric entrando sozinho na área, entre Marcelo e Tete, e acabou acertando uma belíssima cabeçada no ângulo. Explosão no Geoffroy-Guichard, festa para a torcida presente no clássico e desespero para o Lyon, que continuou cochilando nos acréscimos.

O próximo compromisso do Lyon agora é só depois da data Fifa. Entra em campo no sábado, dia 19 deste mês. O adversário será o Dijon e o OL jogará este confronto em casa, às 15h do horário de Brasília. A partida é válida pela 10ª rodada do Campeonato Francês. Até lá!

FOTOS: ol.fr
CAMPINHOS: L'Equipe


MELHORES MOMENTOS:
(se o vídeo acima não rodar. CLIQUE AQUI) 

Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

[Ligue 1 | 19/20] 9ª rodada - Saint-Étienne x Lyon

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais




Este talvez seja o clássico entre Saint-Étienne e Lyon com o maior índice de perigo dos últimos tempos. E não estou falando de perigo de uma briga de torcidas ou coisas do tipo - não que elas não existam (muito pelo contrário). A grande questão aqui é outra: o perigo de entrar em uma espiral de problemas para o time que não conseguir vencer. Digo isso por um simples motivo: o ASSE entrará em campo neste domingo como o lanterna da Ligue 1, já o Lyon vinha de uma sequência de sete jogos sem vencer, até que quebrou o tabu na quarta-feira, pela Liga dos Campeões. Ainda assim, sua última vitória no Campeonato Francês foi na segunda rodada e a 13ª posição incomoda muito.

Para este jogo, ainda há um elemento importante. O Saint-Étienne demitiu na quinta-feira o antigo treinador do time, Ghislain Printant. Quem acabou assumindo o posto é um ex-conhecido do Lyon: Claude Puel. O treinador ganhou projeção internacional como técnico dos Gones e, depois de uma reta final conturbada, acabou sendo demitido, entrou em processo judicial contra o clube, perdeu e hoje é tido como um desafeto por lá. Ele comandará já o banco como sua primeira missão. Não terá nomes importantíssimos como os lesionados Ruffier, Debuchy, Palencia, Gabriel Silva e Aholou, além do suspenso Hamouma.

No lado do Lyon, Sylvinho, mesmo vencendo bem diante do RB Leipzig no meio da semana, vive um momento de corda bamba e precisa retomar urgentemente as vitórias na competição. Vencer no domingo o maior rival poderá ser a validação do seu ticket para continuar com seu trabalho a frente da parte técnica do clube. Caso perca, ele terá que assumir um problema sério e, dependendo das circunstâncias, talvez até mesmo uma demissão. Ele não contará com três nomes importantes para este jogo. Ficam de fora da relação o lateral Youssouf Koné, o zagueiro e capitão Jason Denayer e o atacante Maxwel Cornet.

O confronto entre St-Étienne e Lyon acontece neste domingo (06/10), às 16h do horário de Brasília. No Brasil, a DAZN, por sua plataforma de streaming, promete transmitir a partida. Abaixo, confira os relacionados pelos dois times.



LYON:

GOLEIROS: Anthony LOPES e Ciprian TATARUSANU;
LATERAIS: Fernando MARÇAL, Kenny TETE, RAFAEL e Léo DUBOIS;
ZAGUEIROS: MARCELO e Joachim ANDERSEN;
VOLANTES: Lucas TOUSART, JEAN LUCAS e Thiago MENDES;
MEIAS: Houssem AOUAR e Jeff REINE-ADÉLAÏDE;
ATACANTES: MEMPHIS Depay, Martin TERRIER, Bertrand TRAORÉ e Moussa DEMBÉLÉ;
TÉCNICO: SYLVINHO;
DESFALQUES: Youssouf KONÉ, Jason DENAYER e Maxwel CORNET



ST-ÉTIENNE:

GOLEIROS: Jessy MOULIN, Théo VERMONT e Stefan BAJIC;
LATERAIS: Timothée KOLODZIEJCZAK e Miguel TRAUCO;
ZAGUEIROS: William SALIBA, Loïc PERRIN, Wesley FOFANA e Harold MOUKOUNDI;
VOLANTES: Mahdi CAMARA, Yann M'VILA, Yohan CABAYE e Assane DIOUSSÉ;
MEIAS: Ryad BOUDEBOUZ, Zaydou YOUSSOUF, Wahbi KHAZRI e Kévin MONNET-PAQUET;
ATACANTES: Lois DIONY, Arnaud NORDIN, Denis BOUANGA, Charles ABI e Robert BERIC;
TÉCNICO: Claude PUEL;
DESFALQUESStéphane RUFFIER, Mathieu DEBUCHY, Sergi PALENCIA, GABRIEL SILVA, Jean-Eudes AHOLOU e Romain HAMOUMA


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

quarta-feira, 2 de outubro de 2019

Xô, zica! Lyon volta a vencer, respira e de quebra garante ótimo resultado na Liga dos Campeões

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


OL visitou o Leipzig e conseguiu não só jogar muito bem como voltar para a casa com um 2 a 0 bem convincente na bagagem. Resultado dá alívio ao técnico Sylvinho, que vive momento delicado no clube.




TEXTO ADAPTADO DE: ESPN.com.br
Após sete jogos, o Lyon reencontrou o caminho da vitória. Nesta quarta-feira, o time comandado pelo brasileiro Sylvinho superou o RB Leipzig por 2 a 0, na Red Bull Arena, pela segunda rodada do Grupo G da Champions League e pôs fim à sequência negativa na temporada. Memphis Depay e Martin Terrier anotaram os gols da partida.

Mesmo fora de casa e pressionado pela falta de resultados, o Lyon conseguiu aproveitar as chances nesta tarde diante de um adversário que vive momento completamente oposto. O RB Leipzig tem sido uma das sensações da atual edição da Bundesliga, ocupando a segunda posição na competição. A tarde, no entanto, era do time francês.




Aos 11 minutos do primeiro tempo, Depay aproveitou erro na saída de bola do time alemão, invadiu a área e completou para o gol. Terrier ampliou aos 20 do segundo tempo depois de novo vacilo da zaga do Leipzig.

O triunfo ameniza a má fase do Lyon. O time francês não vencia desde 16 de agosto, quando goleou o Angers por 6 a 0 pelo Campeonato Francês. De lá para cá, a equipe somava três derrotas e quatro empates. A sequência negativa deixou Sylvinho ameaçado no cargo nas últimas semanas, e o diretor esportivo Juninho Pernambucano admitiu publicamente a crise.




No outro jogo do Grupo G, o Zenit venceu o Benfica por 3 a 1 em São Petersburgo - Artem Dzyuba, Ruben Dias (contra) e Sardar Azmoun marcaram para a equipe russa. Raul De Tomas descontou.

Com os resultados, Zenit e Lyon dividem a liderança da chave com quatro pontos cada. O time russo leva vantagem por conta do saldo de gols. RB Leipzig, com três pontos, vem logo atrás. O Benfica ainda não pontuou.

As equipes voltam a campo pela Champions League no dia 23 de outubro. O Lyon visita o Benfica no Estádio da Luz, enquanto o Zenit enfrenta o RB na Alemanha.



TEXTO ADAPTADO DE: ESPN.com.br
FOTOS: ol.fr


RB Leipzig (3-5-2): Gulásci | Konaté (Mukiele, 23'), Upamecano (Nkunku, 66') e Orban | Klostermann, Laimer, Haidara (Forsberg, 58'), Sabitzer e Halstenberg | Poulsen e Werner

Lyon (4-2-3-1): Lopes | Marcelo, Andersen e Marçal | Dubois, Tousart, Thiago Mendes, Aouar (Jean Lucas, 87') e Koné | Terrier (Traoré, 69') e Memphis Depay (Dembélé, 79')

Gols: Memphis Depay (11') e Terrier (65')


OS GOLS DA PARTIDA:
(se o vídeo acima não rodar CLIQUE AQUI) 


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

terça-feira, 1 de outubro de 2019

[Liga dos Campeões 19/20] 2ª rodada - RB Leipzig x Lyon

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi / Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais




Duelo de (momentos) opostos nesta quarta-feira de UEFA Champions League. Enquanto o Lyon, vindo de um péssimo momento e atravessando uma crise, entra em campo para lutar por sua sobrevivência e pela continuidade do seu treinador, o RB Leipzig navega em águas calmas. Os alemães, apesar de terem perdido para Schalke 04 por 3 a 1, em casa, no último fim de semana, vem de uma vitória por 2 a 1, diante do Benfica, fora de casa, pela Liga dos Campeões. O duelo decisivo para o OL significa não só a permanência de Sylvinho pelo menos até o fim de semana, como também mostra que o time pode brigar por alguma coisa nesse Grupo G.

Jogando em casa, o time alemão vem de uma constante interessante. Nos últimos cinco jogos, só perdeu este da rodada anterior do campeonato regional. Acumula importantes partidas como esse vitória já citada diante dos portugueses e um empate contra o Bayern de Munique pela Bundesliga. Para este jogo contra o OL, o jovem técnico Julian Nagelsmann terá a volta do zagueiro Ibahima Konaté e do volante Konrad Laimer. Enquanto isso, não terá o brasileiro Luan Cândido, assim como Tyler Adams, Kevin Kampl, Hannes Wolf e Patrick Schick.

O Lyon vem para esta partida num espírito de tudo ou nada. Esse jogo pode colocar em cheque o futuro da comissão técnica do time. É preciso vencer e/ou convencer. Domingo tem o clássico regional contra o Saint-Étienne e tudo pode acontecer até lá. Uma vitória diante dos alemães dá uma respirada boa não somente no clima do time, como também na tabela, uma vez que o empate em casa, diante do Zenit, não foi visto com bons olhos. Para o jogo, o OL não terá os lesionados Denayer e Cornet.

O confronto entre RB Leipzig e Lyon acontece nesta quarta-feira (02/10), às 16h do horário de Brasília. No Brasil, o EI Plus, por sua plataforma de streaming, promete transmitir a partida. Abaixo, confira os relacionados pelos dois times.



LYON:

GOLEIROS: Anthony LOPES, Anthony RACIOPPI e Ciprian TATARUSANU;
LATERAIS: Léo DUBOIS, Fernando MARÇAL, Youssouf KONÉ e Kenny TETE;
ZAGUEIROS: MARCELO e Joachim ANDERSEN;
VOLANTES: Lucas TOUSART, JEAN LUCAS, Maxcence CAQUERET e Thiago MENDES;
MEIAS: Houssem AOUAR e Jeff REINE-ADÉLAÏDE;
ATACANTES: MEMPHIS Depay, Martin TERRIER, Bertrand TRAORÉ e Moussa DEMBÉLÉ;
TÉCNICO: SYLVINHO;
DESFALQUESJason DENAYER e Maxwel CORNET



LEIPZIG:
(relação não-oficial)

GOLEIROS: Péter GULÁCSI e Yvon MVOGO;
LATERAIS: Lukas KLOSTERMANN, Marcel HALSTENBERG e Nordi MUKIELE;
ZAGUEIROS: Ibrahima KONATÉ, Dayot UPAMECANO e Willi ORBAN;
VOLANTES: Konrad LAIMER, Diego DEMME, Amadou HAIDARA e Stefan ILSANKER;
MEIAS: Christopher NKUNKU, Marcel SABITZER, Ademola LOOKMAN e Emil FORSBERG;
ATACANTES: Timo WERNER, Yussuf POULSEN e MATHEUS CUNHA;
TÉCNICO: Julian NAGELSMANN;
DESFALQUESLUAN CÂNDIDO, Tyler Adams, Kevin KAMPL, Hannes WOLF e Patrik SCHICK


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!

Le Podcast du Foot #109 - Semana decisiva para o Lyon

Filipe Frossard Papini
Twitter: @FilipeDidi/Twitter: @BrasiLyonnais
Facebook: /BrasiLyonnais / Medium: @BrasiLyonnais


Situação complicada para a comissão brasileira do OL. É agora ou nunca. (Arte: terradezizou.com.br)

Em má fase na temporada, sem vencer há mais de um mês, o Lyon entra em semana decisiva para a sequência do trabalho de Sylvinho. Com jogo pela Liga dos Campeões diante do RB Leipzig, na Alemanha, e o clássico contra o Saint-Étienne pelo Campeonato Francês, o OL precisa provar que tem um rumo e dois tropeços podem comprometer um desempenho que parecia ser promissor nas primeiras partidas.

Para debater as causas da má fase e os reflexos dos possíveis tropeços, Le Podcast du Foot entra na edição #109Eduardo Madeira, Filipe PapiniRenato Gomes analisaram a situação do Lyon de Sylvinho.


OUÇA O MATERIAL NO DISPLAY ABAIXO:

Ouça a TODAS AS OUTRAS EDIÇÕES do podcast.

Agora, o material também pode ser assinado via ITUNESSPOTIFY e no GOOGLE PODCASTS!!!

Comente também no site do Eduardo Madeira e na minha coluna do SporTV! Ahh... passe lá na fan page da Ligue 1 Brasil no Facebook também!

Passe aqui depois e me diga o que achou. Deixe seu pitaco, sua dica, sua reclamação e também a sua pergunta. Você pode ter seu nome lido no programa. Seja corneteiro. Faça parte do podcast!


Quer mais informações sobre o Lyon via BrasiLyonnais? Clique nos botões abaixo e siga-nos!